top of page

Saiba como funcionam os sensores de temperatura do seu carro.


Antes da injeção eletrônica, os carros antigos com carburadores e motores refrigerados a água costumavam ter apenas um sensor desse tipo, para controlar o termômetro do painel. Algumas versões esportivas tinham uma segunda peça muito parecida, para o marcador do óleo.

Os modelos da época também usavam outros dois componentes para deixar o líquido de arrefecimento sob controle. O interruptor térmico que ligava a ventoinha elétrica do sistema de refrigeração e a válvula termostática controlava o fluxo de água entre o motor e o radiador.

Hoje, nos veículos com injeção eletrônica, podemos encontrar vários sensores além desses quatro itens “tradicionais”. Controlam a temperatura do ar que entra no motor, ligam a partida a frio do etanol, regulam o ar condicionado, monitoram o câmbio e os diferenciais, informam como está o clima. Outra diferença é que, além de manter o motorista informado por meio dos instrumentos e da central multimídia do painel, esses componentes trabalham integrados com os módulos eletrônicos que controlam todo o veículo. Quanto mais sofisticado e caro é o modelo, mais sensores são usados.

Quando os sistemas mecânicos estão em funcionamento, seus componentes internos se movimentam bem rápido, gerando atrito e consequentemente, calor. Manter essa temperatura controlada é vital para garantir uma operação precisa, evitar quebras prematuras e aumentar a durabilidade das peças.

Os sensores de temperatura desempenham uma função muito importante para manter tudo em ordem. O ideal é que o seu mecânico confira o funcionamento de cada um deles durante as manutenções preventivas. A maneira correta e mais precisa para fazer isso é com o uso de um scanner automotivo. Você que dirige o carro todos os dias, também pode ajudar nesse trabalho de identificação das falhas. Fique atento aos ponteiros e valores indicados pelo painel, ventoinha ligando com o carro frio e falhas que aparecem e somem. Sempre que notar algo estranho, procure a oficina o quanto antes.

Fique ligado nos sensores e no sistema de arrefecimento do seu carro, pois se não funcionam direito, podem causar danos severos no motor, câmbio e diferenciais.

Quando precisar substituir qualquer um dos itens do sistema de arrefecimento ou os sensores do seu veículo, o melhor é optar por componentes novos e de qualidade. Assim, você rodará tranquilo por muito tempo. Também confira pelas embalagens, quando buscar o veículo na oficina, se instaram os componentes exatos para o ano, modelo e opcionais de fábrica.

Nós do Dedé Autopeças estamos preparados para te auxiliar na compra das peças do seu carro. Temos de A a Z, para veículos nacionais e importados.


Comments


bottom of page