top of page

O que é a injeção eletrônica do carro?


A injeção eletrônica foi desenvolvida a fim de acompanhar a evolução do mercado automotivo. Vale lembrar que antigamente a proposta dos motores não supria as demandas relacionadas a determinados quesitos, tais como potência, velocidade de resposta e até mesmo economia do combustível.


. Como a injeção eletrônica funciona

A injeção eletrônica é um sistema que foi desenvolvido em substituição ao carburador. Hoje em dia, mais de 30 anos depois da introdução do mecanismo no país, tornou-se obrigatório para qualquer novo veículo lançado, principalmente em razão dos programas de controle de emissões de poluentes pelos veículos. Nesse contexto, para minimizar a emissão de gases, a injeção eletrônica funciona em etapas que ocorrem em frações de segundos. Inicialmente, ao dar a partida no motor, os pistões realizam um movimento contínuo de sobe e desce, fazendo com que o sensor de rotação sinalize essa atividade para a unidade de comando.

Ao realizar o movimento, o pistão gera uma aspiração no coletor um vácuo na atmosfera que vai passar pelo medidor de ar e pela borboleta de aceleração, chegando até os cilindros do motor. Então, o medidor informa à unidade de comando o volume de ar admitido, fazendo com que a unidade permita que as válvulas de injeção proporcionem a quantidade ideal de combustível para o volume de ar gerado. Em outras palavras, o chip que faz o controle da entrada de combustível e ar na câmara do motor, em conformidade com as faixas de rotação, possibilita uma combustão mais eficaz. Dessa forma, o veículo ganha maior eficiência em termos de energia e, consequentemente, reduz o nível de emissão de poluentes.


. Componentes da injeção eletrônica

Os componentes do sistema de injeção eletrônica podem ser classificados de acordo com três grupos principais. São eles a central de informações, os sensores e os atuadores. Em síntese, os sensores são responsáveis por determinar as condições do veículo. Os atuadores, por sua vez, atuam para corrigir aspectos que forem necessários para oferecer maior eficiência ao veículo.


Abaixo, veja mais sobre como funciona cada um deles:

Central de informações

Embora os componentes da injeção eletrônica sejam classificados segundo grupos, é preciso considerar, também, a importância da central de informações. Conhecida como unidade de comando, este é um elemento responsável por fazer a gestão do motor, com base em dados que são enviados pelos sensores. Assim, além de fazer o controle da injeção de combustível, a central de informações pode agrupar informações essenciais relacionadas aos detalhes de fábrica do veículo.


Sensores

Os sensores são equipamentos cuja função é analisar a atividade do motor, bem como transmitir dados para a central eletrônica, isto é, a unidade de comando. Via de regra, esse tipo de equipamento está disposto em diferentes posições do motor, de modo a conferir maior precisão na verificação de temperatura, pressão, velocidade e dos componentes responsáveis pela combustão. Caso algum dos sensores deixe de funcionar, a injeção eletrônica dispõe de um módulo que fica responsável pelo armazenamento de dados, registrando o problema.


Atuadores

Por fim, os atuadores são componentes que ficam responsáveis por alimentar e promover a queima do combustível. Sua atribuição é determinada conforme o envio de comandos pela central de informações. Ou seja, eles recebem da unidade de comando as informações de como devem atuar sobre o sistema de injeção.

.

Nós do Dedé Autopeças estamos preparados para te auxiliar na compra das peças do seu carro. Temos de A a Z, para veículos nacionais e importados. Siga seu destino com segurança!


Comments


bottom of page