top of page

Elas na direção: mulher oferece maior segurança ao dirigir


Muita gente acredita que as mulheres são menos aptas a dirigir do que os homens. Mas não é o que as estatísticas apontam. De acordo com o Infosiga SP, que recebe e apura dados baseados nos boletins e registros da Polícia Civil (RDOs) e da Polícia Rodoviária Federal no estado de São Paulo, as mulheres se envolvem menos em acidentes graves de trânsito: em 2017 apenas 6,4% dos condutores envolvidos nesse tipo de acidente foram do sexo feminino, contra 93,1% do sexo masculino.

Segundo o mesmo sistema, em 94% dos acidentes fatais a principal causa é a falha humana. Ou seja, o comportamento do motorista é fator crucial no trânsito, seja homem ou mulher. Não há qualquer diferença biológica que torna os homens mais aptos a dirigir que as mulheres. É basicamente uma questão cultural, que, inclusive, explica por que os homens costumam se envolver em mais acidentes graves.

Comentários alegando que as mulheres atrapalham o trânsito por serem mais “lentas”, talvez não sejam exatamente a verdade. Pode ser que elas estejam na velocidade correta, enquanto quem reclama quer andar acima da velocidade permitida. Não é para menos que mulheres acabam se envolvendo menos em acidentes.

Aí você pode se perguntar: mas o fato de os homens se envolverem mais em acidentes não seria por que existem muito mais condutores do sexo masculino do que feminino? Não necessariamente. Em todo o mundo já foram realizadas pesquisas com o mesmo número de condutores homens e mulheres, inclusive estudos psicológicos, e o resultado foi o mesmo. O que leva à conclusão de que trata-se de uma característica comportamental do gênero.

Um levantamento do Ministério das Cidades mostra que o número de mulheres habilitadas no Brasil foi de 33,8% em 2015 para 34,4% em 2017. Um aumento leve, porém considerável e, ainda assim, o índice de homens mortos no trânsito de São Paulo, por exemplo, cresceu ainda mais: foi de 77% em 2015 para 81,5% no ano passado, de acordo com dados do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito.


Como isso pode ser melhorado

O que percebemos é que o comportamento no trânsito deve e pode ser melhorado por todos: os homens, que devem controlar melhor a agressividade em trânsito, e as mulheres, que ainda se sentem inseguras e acabam se envolvendo em acidentes. É bom agregar um pouco da empatia feminina no dia a dia, conduzir o veículo de maneira cuidadosa e lembrar-se sempre de que o seu comportamento pode custar a vida de outra pessoa.


Nós do Dedé Autopeças incentivamos a inclusão do público feminino no trânsito, afinal, lugar de mulher é onde ela quiser! Estamos preparados para te auxiliar na compra das peças do seu carro. Temos de A a Z, para veículos nacionais e importados.


Comments


bottom of page