top of page

Correia dentada: tudo o que você precisa saber sobre esse componente


A popular correia dentada é o acionador pelo qual o virabrequim aciona a abertura e o fechamento das válvulas no cabeçote. Dor de cabeça para muitos no passado, esse item importante do motor geralmente não durava muito em certos motores e sua quebra acarretava um prejuízo enorme para o proprietário, que muitas vezes não tinha recursos para sua reparação.

E como saber a hora de fazer a troca?! No manual do proprietário e também no plano de manutenção do veículo, a troca da correia se houver, é indicada em determinada revisão, medida por km rodado. Dependendo do estado, a correia pode ser trocada mais adiante, mas geralmente isso ocorre a partir de 60.000 km, mas a partir dos 40.000 km, deve-se inspeciona-la para verificar seu estado. Deve-se substituir também o tensor dessa correia, a fim de evitar travamento do mesmo por desgaste natural. É ele que mantém a correia ajustada na posição.

Nos carros mais antigos, especialmente quando o veículo é adquirido usado, deve se verificar o manual de revisões do veículo para ver se foram cumpridas as estipuladas pela garantia. Caso contrário, o melhor é providenciar a troca do mesmo o quanto antes, após verificação do estado da mesma em mecânica especializada, que dará um parecer técnico sobre o componente. Na dúvida, o recomendável é sua substituição, mesmo que a quilometragem esteja abaixo do recomendado no manual. O tensor da correia e roletes também devem ser substituídos.

O que recomendam as marcas?

Na Volkswagen, por exemplo, a correia dentada deve ser trocada a cada 120.000 km ou conforme a necessidade. O item é inspecionado sempre a cada revisão, segunda a marca, pois em caso de desgaste excessivo ou outra anomalia, a verificação periódica garantirá a substituição da mesma em tempo antes de um possível rompimento, o que traria ao cliente enorme prejuízo.

Na Chevrolet, a GM também determina um período para substituição da correia dentada e esta deve ser trocada aos 60.000 km nos motores SPE/4. Nas revisões, também de acordo com o fabricante, o item é inspecionado para se verificar seu estado. Na Fiat, o motor Fire necessita da troca de correia dentada a cada 60.000 km e o serviço agrega também a troca do tensor de correia, importante para manter o item esticado como se deve, evitando patinamento e consequente problema no acionamento de válvulas. O motor Firefly possui corrente. O site de revisões da Fiat está com problemas e custo tem de ser orçado nas revendas.

O novo motor SCe da Renault utiliza corrente lubrificada no lugar da antiga correia dentada da geração de propulsores anteriores. O sistema dispensa a troca, mas no motor antigo, o período para substituição da correia era de 80.000 km. Ou seja, com a corrente, eliminou-se a necessidade desse serviço, que geralmente é caro.

Os motores 1.0 12V Flex e 1.5 16V Flex usados nos modelos da Chery no Brasil também possuem correia dentada e a substituição deve ser feita a cada 60.000 km, conforme manual do proprietário.


Nós do Dedé Autopeças estamos preparados para te auxiliar na compra das peças do seu carro. Temos de A a Z, para veículos nacionais e importados.


Opmerkingen


bottom of page